Velho e gasto


Amarrado à terra, velho e gasto, descansando da faina.
Amanhã voltará a abrir caminho entre as águas salgadas deste mar imenso.
Voltará a ser o instrumento de uma vida dura, castigada pelo frio do Inverno, pelo Sol quente do Verão.
Uma vida que depende dele, que depende do mar.
Uma vida dura, mas uma vida feliz.

Sem comentários:

Enviar um comentário